6 – A maionese e o frango

Era um domingo de sol, desses de preguiça de ir até o portão! Me permiti ficar recolhida na minha quietude ociosa, bem que fiz! Quem já me conhece sabe o quanto eu sou agitada e faço mil coisas ao mesmo tempo, esses momentos de sofá são realmente muito raros, fico feliz e dou uma estrelinha a mim mesma quando consigo descansar.

A estrelinha desse dia foi esse belo prato, Frango com maionese.

IMG_20150201_144333537_HDR

Já havia começado a estudar as facas, então fiz os cortes de maneira bem consciente, comecei pela separação dos materiais e fui por etapas:

  • Tábua, descascador de batatas, batatas

Não costumo usar o descascador, ainda mais esse de lâmina móvel, foi um pouco chato para achar o ângulo e a força de puxar, mas em meia batata já estava me sentindo uma expert! Queria praticar e descasquei batata para um batalhão (e o almoço era só para mim).

IMG_20150201_122244391

  • Tábua, faca de chef, batatas descascadas, panela

Bom, agora eu tenho um, não, três tubérculos enormes para cortar em cubos, quero cubos de mais ou menos 1,5cm de lado. Então cortei as batatas em fatias dessa medida, aí fiz tiras e por fim os cubos. Deu certo. Claro que não ficou perfeito pela falta de prática, mas também porque as batatas tem formas ovais e eu obviamente não ia cortar quadrada e descartar os lados para fazer uma maionese de domingo. Então foi tudo para a panela, meus cubos retangulares de 1,0; 1,2; 1,5; 1,cm. Tinham também triangulinhos de vários tamanhos! Viva a diversidade!!!

IMG_20150201_122944880

Água e fogo! Enquanto isso, na sala de justiça, a pessoinha inquieta que vos fala foi pendurar roupa. E foi o tempo exato para o cozimento, impressionante, fica a dica! Não sei quanto dá em minutos, mas foi uma maquinada cheia e obtive, ao final do processo de pendurar, as batatas cozidas e firmes. Escorri e deixei na geladeira

Para fazer a maionese eu usei uma gema crua (não gelada) e uma gema cozida, usando dois garfos juntos, misturei as duas com uma colher (de café) de mostarda dijon. Espremi meio limão e misturei nas gemas até ficar homogêneo. Coloquei um pouco de óleo, misturei levemente até incorporar, ai sim bati vigorosamente, e fui adicionando óleo, misturando e batendo até a quantia de molho que eu queria, foi rápido, não morri de bater. Bastava estar firme e aveludada. Piquei cebolinha (queria salsinha também, mas não tinha), e misturei tudo, batatas, molho, cebolinha e sal.Ficou bem bom!  Tem um livro chamado Um Cientista na Cozinha, de Hervé This, que é sensacional e tem uma parte falando da química da maionese, mitos e verdades – vale a leitura.

***A vigilância Sanitária não autoriza o uso de maionese caseira em estabelecimentos comerciais, por possível risco de contaminação por salmonela.

IMG_20150201_141352396

 

 

IMG_20150201_142308555

  • Tábua, faca de chef, cebola, alho poro, tomates-cereja

Com a cebola eu não me apuro, descasca, corta ao meio, faz fatias finas, vem no outro sentido (a 90 graus) e faz fatias o mais finas possível, lembrando sempre que existem dedos no meio do caminho.

Eu já tinha também na geladeira, meio alho poró já lavado (normalmente eu fatio tudo e congelo), fiz fatias finas. Lavei os tomatinhos e cortei ao meio. Como estou usando a mesma tábua, o frango será o ultimo a ser cortado, para evitar que esse alimento potencialmente contaminado possa trazer alguma contaminação aos demais.

  • Tábua, faca de chef, sálvia, manjericão

Peguei do meu vasinho sálvia e manjericão, lavei bem e cortei grosseiramente as folhas.

  • Tábua, faca de chef, frango

Lógico que no meu congelador não teria um frango e sim lascas de sassami, lindas e tão certinhas que nem parece que vieram de algum bicho. Perfeito!

Microondas na função descongelar e cortei ao meio, queria pedaços grandes e suculentos.

Na panela, óleo, e um pouco de açúcar para caramelizar e deixar o frango com aquela cor do pecado sem ficar seco (aprendi essa dica com um amigo querido e sempre uso). Adicionei a cebola e o alho poro, refoguei um pouco e coloquei os tomates e quando murcharam, adicionei as folhas. Sal e pimenta do reino moída na hora.

Servi meu prato, com a carne do lado direto (não por coincidência que a faca fica do lado direito na mesa) e a maionese linda do ouro lado. Não teve salada, afinal era domingo e eu tinha uma tonelada de maionese pronta e meus olhos brilhavam com isso!

Comer e ser feliz!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s